Barra de vídeo

Loading...

sábado, 7 de junho de 2014

DIVALDO FRANCO - Zurique/Suíça - 06 de junho 2014

DIVALDO FRANCO - Zurique/Suíça - 06 de junho
Roteiro de palestras Europa 2014

 


O dia ainda não havia mostrado a sua face, e o trabalhador de Jesus, Divaldo Pereira Franco, já se movimentava pela madrugada desta sexta-feira, 06 de junho de 2014, em direção à estação de trens de Paris, rumando à Zurique, na Suíça, lá chegando próximo ao meio-dia, quando foi recepcionado pelos amigos espíritas do país, dando-lhe as boas-vindas.

À noite realizou uma magnífica conferência no salão Volkshaus, no centro de Zurique, onde abordou o tema Psychologie der Dankbarkeit (Psicologia da Gratidão), sendo traduzido ao alemão pela querida amiga Edith Burkhard. O preâmbulo foi protagonizado pela marcante voz do barítono Mauricio Virgens, acompanhado pelo exímio pianista Flavio Benedito, que a todos encantaram.




Divaldo apresentou o perfil da criatura moderna que, conquistando as estrelas e as micropartículas, ainda não conquistou a si mesmo, pois que prossegue com os instintos selvagens, atirando-se uns contra os outros, com ou sem motivo. Citando Blaise Pascal, filósofo francês, referiu-se ao espírito de geometria e de gentileza, afirmando o filósofo ser necessário a presença de ambos na intimidade dos indivíduos, para que, avançando juntos fosse possível alcançar o espírito de amor, evitando assim, que as criaturas se entredevorassem.

A sociedade hodierna, afirmou o nobre conferencista, aparentemente rica, vive cercada de miséria por todos os lados, e os que muito possuem, encontram-se solitários. Prosseguiu narrando fatos de sua vida, de forma jovial e alegre, provocando risos na atenta plateia, pois que é este também, o riso, um recurso terapêutico. Dessa forma, o Arauto do Evangelho foi penetrando nas questões do ser, asseverando que o objetivo essencial da vida é amar, pois todo aquele que ama é maduro emocionalmente.




Chegou o momento, alertou, de os indivíduos voltarem-se aos sentimentos, desenvolvendo os aspectos afetivos, dirigindo os pensamentos, em especial, aos momentos felizes. Muitos gostam de sofrer, são conscientes de que o que é bom passa rápido. Esses, perante algo perturbador, ficam lembrando, valorizando, interiorizando aquele desar, quando poderia manter a mente naqueles momentos felizes, não valorizando o mal dos maus, alheio à agressividade, prosseguindo no rumo da paz.

A gratidão tem um sentido ético, estético, moral e, sobretudo, essencial para uma vida feliz. O Semeador de Estrelas aconselhou a que se retorne à arte de conversar, deixando de discutir e brigar, sempre armado contra o outro. Todos podem tornar a sua vida muito melhor, apagando as coisas negativas, valorizando as positivas.



Ao encerrar, Divaldo de forma simples, como simples é o amor, desejou de todo o seu coração que todos sejam felizes, que não percam a oportunidade de amar, que não valorizem o mal, - que somente existe porque se lhe atribui valor -, que possam sorrir mais, amar mais, perdoar, porque Jesus, o psicoterapeuta da humanidade, receitou o amor para todas as circunstâncias da vida.




Aplaudido de pé pela enorme plateia que lotava o salão, Divaldo foi homenageado pelos organizadores do evento. Demorando-se um pouco mais, concedeu autógrafos e recebeu aos que o buscavam para um abraço, uma palavra amiga, um sorriso. A sexta-feira já estava se despedindo, e depois de um longo dia de trabalho no bem, ele ali ainda permanecia, porque desde o dia em que optou servir à Jesus, colocando a mão no arado, nunca mais olhou para trás, prosseguindo gentil, servindo, amando, sem cessar...




Fotos e texto: Ênio Medeiros

Nenhum comentário:

Postar um comentário