Barra de vídeo

Loading...

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Centro de apoio Reynaldo Gianecchini














Fausto Silva recebeu na tarde de 22 de Setembro, em São Paulo, a Profa. Heloísa Gianecchini e Vilson Disposti para conhecer o projeto Centro de Apoio Prof. Reynaldo Gianecchini, que atenderá crianças, adolescentes e pessoas da terceira idade. 
O projeto socioeducacional está sendo desenvolvido em parceria com a Ave Cristo, em Birigui-SP.

Ajude a Ave Cristo a proteger vidas. Saiba mais: www.avecristo.com.br

domingo, 28 de setembro de 2014

Mensagem de Dr. Bezerra de Menezes, por José Carlos De Lucca


Linda mensagem de Dr. Bezerra de Menezes, por
José Carlos De Lucca:

"Em nossas lutas cotidianas, diante de tantos conflitos que nos desafiam diariamente a nossa capacidade de superação, rogamos aos queridos filhos do coração um passo acima na hora em que a problemática nos envolver. Talvez, no momento, não tenhamos a posse da solução integral daquela dificuldade, mas poderemos dar um passo adiante no caminho do acerto. E esse passo acima será, comumente:

um pouco mais de calma
um pouco mais de fé
um pouco mais de esperança
um pouco mais de paciência
um pouco mais de entendimento
um pouco mais de perseverança
um pouco mais de coragem
um pouco mais de oração.


Mesmo que nossos pés estejam cansados, e que nos pareça distante o término da prova, continuemos dando esses pequenos passos, todos os dias, porque somente aquele que continua caminhando contará com o auxílio do céu para o êxito da jornada."

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

HORA DE PEDIRMOS PERDÃO - Divaldo Franco


Quando, no seu pontificado, o papa João Paulo II surpreendeu o mundo com coragem de pedir perdão a todos pelos gravíssimos erros cometidos por alguns membros da Igreja no passado, reconheceu as conquistas da ciência, da tecnologia e a intolerância que era peculiar aos mesmos, assim como os danos causados à sociedade, e não trepidou em constatar a fragilidade humana de muitos dos seus antecessores e dos tribunais que ergueram contra a cultura, a liberdade, e rogou perdão.

Vivemos um momento que se caracteriza pelo numero expressivo de mulheres e homens psicologicamente vazios de sentimentos e destituídos de valores éticos-morais. Em consequência, avolumam-se os transtornos de toda espécie, que devoram e ameaçam as estruturas da cultura e da civilização. O monstro da guerra conquistas adeptos em quase toda parte, e multiplicam-se os estopins que a facultam.

O ser humano tem tentado avançar moralmente, mas tropeça nas dificuldades que tem criado através dos tempos, e busca sempre transferir a culpa do seu fracasso aos outros. Psicologicamente essas culpas são com frequência dos genitores que os puseram no mundo, outras vezes são da sociedade, da incompreensão das demais pessoas em processo de adiamento do momento de enfrentar a verdade que se lhe encontra ínsita na consciência.

Este é o momento de pedirmos perdão pelos nossos erros, pelos desacertos, pela agressividade, pela violência, pela desonestidade. Talvez não seja necessário verbalizar o pedido de perdão, mas reconhecer os próprios limites e trabalhar pela reparação dos danos que temos causado, não somente a nós mesmos, senão à humanidade em conjunto.

Devemos assumir a responsabilidade que vimos transferindo para os outros e construirmos novos sentimentos que nos erguerão do caos à plenitude. Será necessária muita coragem, porém, quanto mais postergarmos a decisão, mais graves serão os enfrentamentos do futuro. Já tentamos a guerra e o ódio, está na hora do amor, iniciando pelo perdão.


Artigo publicado no jornal A Tarde, coluna Opinião, em 25-09-2014.
Divaldo Franco escreve na quinta-feira, quinzenalmente. 

sábado, 6 de setembro de 2014

Divaldo Franco fala sobre sua Mentora Espiritual Joanna de Ângelis


Assista ao vídeo.


Mais informações sobre Joanna de Ângelis:

Joanna de Ângelis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Joanna de Ângelis.
Joanna de Ângelis é a guia espiritual do médium espírita brasileiro Divaldo Franco, entidade à qual é atribuída a autoria da maior parte das suas obraspsicografadas.
A obra mediúnica de Joanna de Ângelis é composta por dezenas de livros, muitos deles traduzidos para diversos idiomas, versando sobre temas existenciais, filosóficos, religiosos, psicológicos e transcendentais.
Dentre as suas obras destacam-se as da Série Psicológica, composta por mais de uma dezena de livros, nos quais a entidade estabalece uma ponte entre a Doutrina Espírita e as modernas correntes da Psicologia, em especial a transpessoal e junguiana.

Sucessivas encarnações

Juana de Asbaje.
Segundo Divaldo Franco, em sua primeira manifestação, a 5 de dezembro de 1945, Joanna de Ângelis se apresentou com o epíteto "um Espírito amigo", que por muitos anos teria sido um pseudônimo utilizado por ela.
Na obra A veneranda Joanna de Ângelis (Salvador: LEAL, 1987), os autores Celeste Santos e Divaldo Franco defendem que esse Espírito teria sido, em uma de suas encarnações, Joana de Cusa - uma das mulheres que acompanhavam Jesus no momento da crucificação.(Vide também: Boa Nova - Humberto de Campos/Chico Xavier, FEB)
Atribuem-se ainda a ela as seguintes personalidades históricas, conforme anota o psicólogo e escritor Cezar Braga Said em seu livro "Joanna e Jesus: Uma história de amor" (FEP - 2010):
·         Santa Clara de Assis (1194-1253) que viveu no século XIII, seguidora de São Francisco de Assis e fundadora da Ordem das Clarissas.
·         Juana Inés de La Cruz (1651-1695) (pseudônimo religioso da poetisa mexicana Juana de Asbaje, que viveu durante o século XVII).
·         Joanna Angélica de Jesus (1761-1822), também sóror e depois abadessa que viveu no início do século XIX e protagonizou doloroso drama naIndependência da Bahia.

Resumo histórico

No século I, vivera como Joana de Cusa, uma das maiores colaboradoras da obra de Jesus, inclusive citada no evangelho como uma das mulheres piedosas, tendo sida queimada viva ao lado de seu único filho, juntamente com outros cristãos no Coliseu de Roma.
Em 12/11/1651 nascia no México Sór Juana Inés de La Cruz, tendo sida a maior poetisa da língua hispânica; muito competente em teologia, medicina, direito canônico e astronomia. Foi teatróloga, musicista, pintora e poliglota. Falava e escrevia, fluentemente, seis idiomas.
Em 11/12/1761 nascia em Salvador-Bahia Sóror Joana Angélica de Jesus que posteriormente tornou-se freira. Em 1822, em defesa da honra das jovens do seu Convento, foi assassinada por um soldado português, tornando-se mártir da independência do Brasil.
Joanna de Ângelis também vivera no século XIII (De 16/07/1194 à 11/08/1253). Chiara d'Offreducci foi fundadora da ordem feminina Franciscana. Mais tarde, em 15 de agosto de 1255 foi canonizada pelo papa Alexandre IV, agora conhecida como Santa Clara de Assis.(Clara de Assis)
Hoje, vivendo na espiritualidade e assumindo o nome de Joanna de Ângelis, é um dos guias espirituais da humanidade, realizando uma experiência educativa e evangélica de altíssimo valor, inclusive publicando diversas obras literárias, milhares de mensagens, traduzidas em diversos idiomas, transcritas em braile, reproduzidas em áudio, e todas distribuídas por vários países do mundo.

Principais obras

Dentre os livros psicografados por Divaldo Franco, que trazem a assinatura de Joanna de Ângelis, sobressaem:
·         Messe de Amor - 1964 (mensagens, dedicadas ao centenário de O Evangelho Segundo o Espiritismo)
·         Dimensões da Verdade - 1965 (conceitos evangélicos e doutrinários)
·         Leis Morais da Vida - 1976 (análises sobre as Leis Divinas)
Da sua Série Psicológica:
·         Jesus e Atualidade- 1989
·         O Homem Integral- 1990
·         Plenitude - 1991
·         Momentos de Saúde e Consciência - 1992
·         O Ser Consciente- 1993
·         Autodescobrimento: Uma Busca Interior - 1995
·         Desperte e seja feliz- 1996
·         Vida: Desafios e Soluções - 1997
·         Amor, imbatível amor- 1998
·         O Despertar do Espírito- 2000
·         Jesus e o evangelho a luz da psicologia profunda- 2000
·         Triunfo Pessoal - 2002
·         Conflitos Existenciais - 2005
·         Encontro com a paz e a Saúde - 2007
·         Em Busca da Verdade - 2009
·         Psicologia da Gratidão - 2011
Ressalta-se também a "Série Momentos", com temas sobre alegria, meditação, saúde, felicidade entre outros.

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Desencarna o ex-presidente da FEB, Nestor João Masotti


Desencarnou no Hospital Santa Lúcia, em Brasília, na tarde do dia 3 de setembro, o companheiro Nestor João Masotti.
O Velório esta marcado para o dia 04/09 às 11:30 na capela 07 do Cemitério Campo da Esperança.
O Sepultamento ocorrerá no mesmo dia às 16:30.

Por Antonio Cesar Perri de Carvalho
Foi o 15º presidente da Federação Espírita Brasileira. Nasceu em Pindorama (SP) em 21/6/1937, filho de Damiano Henrique Venâncio Masotti e Eloyda G. Masotti, ambos espíritas.
Graduou-se em Odontologia em Araraquara e exerceu a profissão por menos de um ano em Tupã. Atuou profissionalmente como funcionário público fazendário em Fernandópolis e São Paulo.
Sempre foi muito ativo no Movimento Espírita nas cidades já citadas do mesmo Estado, integrando desde a mocidade espírita até a direção de centro espírita. Atuou em eventos regionais, inter-estaduais e nacional de juventudes espíritas. Foi presidente (1974-1982) e vice-presidente (1982-1986) da União das Sociedades Espíritas do Estado de São Paulo, integrando o Conselho Federativo Nacional da FEB. A convite do presidente Francisco Thiesen, na Sede da FEB, em Brasília, exerceu cargos de diretor (1986-1990) e secretário geral do CFN, vindo depois a assumir a vice-presidência (1990-2001) e a presidência da FEB. Participou ativamente da implantação das Comissões Regionais do CFN da FEB.
Exerceu o 21º. mandato de presidente da FEB: 2001-2013, mas licenciando-se em maio de 2012. No início de sua gestão como presidente procedeu à reforma e atualização da gráfica da FEB, a modernização das capas e formato dos livros. Durante seu mandato: foram realizados dois Congressos Espíritas Brasileiros (2007 e 2010); comemorações do Bicentenário de nascimento de Allan Kardec com emissão de selo comemorativo pelos Correios; Sesquicentenário de O Livro dos Espíritos com emissão de selo comemorativo pelos Correios e o “Projeto Centenário de Chico Xavier” (2010); foram cunhadas medalhas pela Casa da Moeda em homenagem a Chico Xavier (2010); Sesquicentenário de O livro dos médiuns(2011); Centenário da Sede Histórica do Rio (2011). Durante sua gestão, o CFN da FEB aprovou: Atividade de Preparação de Trabalhadores Espíritas (2002), que gerou o curso “Capacitação Administrativa da Casa Espírita”; Campanha “Construamos a Paz Promovendo o Bem!” (2002); “Plano de Trabalho para o Movimento Espírita Brasileiro (2007-2012)”; Campanha “O Evangelho no Lar e no Coração” (2008);Orientação aos órgãos de unificação (2009); Regimento Interno do Conselho Federativo Nacional da FEB (2011). A FEB apoiou: a criação do Movimento Nacional Em Defesa da Vida-Brasil sem Aborto; reforma das instalações da Fazenda Modelo e construção do Memorial do C.E. Luís Gonzaga de Pedro Leopoldo (MG); apoio aos filmes “Chico Xavier”, “Nosso Lar” e “E a Vida Continua…” Simultaneamente aos seus encargos junto à FEB, juntamente com os ex-presidentes Francisco Thiesen e Juvanir Borges de Souza trabalhou intensamente pela fundação do Conselho Espírita Internacional, o que se efetivou em 1992.  Exerceu também o cargo de 1º. Secretário e secretário-geral do Conselho Espírita Internacional. Neste último cargo criou a TVCEI, a EDICEI com livros traduzidos para vários idiomas, o Centro Administrativo do CEI em Brasília e promoveu Congressos Mundiais trienais: Cidade da Guatemala (2001), Paris (2004), Cartagena de Índias (2007) e Valencia (2010). Participou de dois eventos na ONU, em New York: o Millennium World Peace Summit  (2000) e da homenagem pelo Centenário de Chico Xavier (2010); atuou em palestras, seminários e vários eventos em vários países das três Américas, Europa e África.
No final de sua gestão efetiva na FEB houve desativação da gráfica e se iniciou as impressões por terceirização. Afastou-se da presidência, para tratamento de saúde, em maio de 2012, e em definitivo em março de 2013.
Ao retornar para Brasília, em agosto de 2013, depois de mais de um ano em tratamento em São Paulo, retornou a algumas reuniões mediúnicas e fez algumas palestras na FEB.  Nestor foi homenageado em vários momentos pelo atual presidente: embora a distância, no CFN de 2012, com coleta de assinaturas em livro e placa de prata; em sua primeira aparição pública após o início do tratamento de saúde na passagem do Museu Espírita de São Paulo para a FEB (abril de 2013), inauguração de sua foto na Galeria dos Ex-Presidentes no Espaço Cultural da FEB (novembro de 2013) e na abertura da Reunião Extraordinária do CFN da FEB – dia 23 de agosto de 2014 -, oportunidade que proferiu a prece de abertura. Esta foi sua última aparição pública e na FEB.
Conhecemos Nestor ainda solteiro bem no início dos anos 1970. Desde então acompanhamos sua trajetória, principalmente durante sua gestão na USE-SP e nos seus encargos na FEB e no CEI. Sempre apreciamos suas propostas doutrinárias, de unificação e de difusão. Coincidentemente nos mudamos para Brasília, por razões profissionais, dois meses antes dele assumir a presidência da FEB e atuamos com ele em ações na FEB e CEI aprendendo a valorizar e respeitar seus esforços e lutas empreendidas pela Causa. Nosso amigo abriu muitos caminhos e contribuiu enormemente para a difusão da mensagem espírita.