Barra de vídeo

Loading...

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

CAUSAS DA DEPENDÊNCIA QUÍMICA



“A criança tem necessidade de ser amada, protegida, nutrida, orientada, a fim de desenvolver os sentimentos da afetividade, da harmonia, da saúde, do discernimento”. 
(Joanna de Ângelis por Divaldo Franco)


Se perguntarmos ao neurologista o que provoca a dependência de drogas, ele dirá, certamente, que o problema tem origem na disfunção bioquímica do cérebro, enquanto o psiquiatra defenderá que a dependência de drogas decorre da depressão ou de algum dos transtornos de ansiedade.

Indagando-se ao psicólogo, afirmará que a drogadição tem como base um conflito emocional provocado por alguma ocorrência durante as fases do desenvolvimento da infância.

No entanto, ainda que não se lembre de consultar os avós acerca desse assunto, dirão espontaneamente, escudados na sabedoria que o tempo os ajudou a construir, que o problema em questão se deve à falta de Deus.

Mas, afinal, quem estaria com a razão? Seria embaraçoso afirmar que todos apresentaram motivações que podem levar à dependência de drogas?

Sim, as causas acima relacionadas têm sido responsáveis pelo envolvimento das pessoas com as drogas, considerando-se que todas elas, sejam isoladas ou associadas umas às outras, são identificadas com maior incidência na base da drogadição.

Entretanto, antes de se relacionar aqui os motivos que o próprio indivíduo carrega em si, é preciso considerar que a sociedade também contribui para essa enfermidade do corpo e da alma. O meio social tem a real capacidade de induzir ao consumo de drogas, porque nele prevalece a cultura do prazer, da qual emergem ídolos excêntricos, que estimulam o seu consumo, além de outros comportamentos que podem influenciar as pessoas.

Sem desejar, “ensina-se” às crianças a beber muito cedo desde o aniversário do primeiro ano de vida. Nesses encontros familiares, costuma-se consumir bebidas alcoólicas livremente. Mais tarde, surgindo-se uma oportunidade de beber, poderá fazê-lo naturalmente, porque essa conduta já se encontra aprovada em seu psiquismo.

Portanto, é inegável a indução social ao consumo de drogas, a começar pela família. A iniciação do consumo do álcool e do tabaco encontra reforço nos arquivos psicológicos do período infantil.

Assim, em busca de aventuras e excitações, esses jovens podem ingressar na rota das drogas, ante o enganoso ato de somente experimentar.

A eficiência do tratamento da dependência química está na identificação das principais causas que contribuíram para o surgimento da drogadição e na escolha de uma terapia com abordagens eficientes para se enfrentar tais causas.

Porém, não se pode desconsiderar a terapia espiritual sempre capaz de proporcionar o despertar da consciência para os valores da pessoa humana e para a importância da vida.

Assim, somente a adoção integrada desses recursos, sem preconceitos ou reprovações, poderá fazer emergir as reais e seguras possibilidades de reabilitação, no sentido da cura pessoal, ao priorizar a saúde, o bem-estar e a harmonia interior com o inadiável autodescobrimento e a integração com Deus, a fim de se enfrentar os naturais desafios existenciais e viver plenamente.


Do livro Filhos da Dor – Dr. Vilson Disposti.
Para mais informações, acesse: http://goo.gl/ELxNL7

Nenhum comentário:

Postar um comentário