Barra de vídeo

Loading...

quarta-feira, 29 de julho de 2015

OS ENJOOS DA GESTANTE



Com o desenvolvimento da gravidez, à medida que o embrião vai se estruturando, conforme o molde energético dado pelas matrizes espirituais da entidade reencarnante, vão se intensificando as trocas fluídicas, ou energéticas, entre o perispírito da mãe e o espírito reencarnante.

Já se observa, a certa altura, uma intensa sintonia vibratória com grande intercâmbio de energias. Sucede que essas vibrações permutadas podem ser doentes (espiritualmente falando) ou sadias. As vivências das encarnações anteriores, indelevelmente, registradas nos arquivos energéticos do espírito, são núcleos de emanação de ondas que exercem influência sobre a gestante.

As experiências de sofrimento ainda não resolvidas psicologicamente, os ressentimentos mantidos, são concentrações de força a irradiar sobre a estrutura energética materna. As experiências comuns entre mãe e filho vividas em estâncias pretéritas se reencontram agora com uma anestesia parcial.

Não resta dúvida de que é a grande oportunidade de reaproximação, para a resolução dos débitos passados. Também é importante que se reafirme toda a assistência espiritual presente no transcurso da gravidez, amparando a culpa.

As trocas fluído-energéticas entre ambos, frequentemente, produzem enjoos à mãe. A intensidade desses enjoos muitas vezes está relacionada à diferença de nível evolutivo entre o espírito reencarnante e a gestante.

Em determinadas situações, no entanto, não se trata de diferença de nível espiritual, pois, normalmente aos espíritos superiores, não é difícil superar e compreender as limitações dos menos evoluídos. Frequentemente são os reconhecimentos inconscientes das experiências comuns vividas. São as sensações decorrentes do espelhar mútuo, da situação espiritual vivenciada no passado e ainda não resolvida.

Cuidemos, no entanto, para não cometermos injustiça ou erros apressados de julgamento. Os enjoos têm também causas meramente orgânicas ligadas a fatores anatômicos e fisiológicos do processo gestacional. Atribuir aos enjoos apenas significado de ordem espiritual seria empobrecer a ciência espírita e comprometer a sua imagem perante as pessoas de bom senso.


Do livro “Gestação” - Dr. Ricardo Di Bernardi.
Para saber mais, acesse: http://goo.gl/1vJWeU


Nenhum comentário:

Postar um comentário