Barra de vídeo

Loading...

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

TACA EDUCAÇÃO, DEPOIS TACA LIVROS E RETIRA DAS RUAS - ADEILSON SALLES

(Foto: Yasmin Formiga/Arquivo Pessoal)

TACA EDUCAÇÃO, DEPOIS TACA LIVROS E RETIRA DAS RUAS

O que um pai pensa ao ouvir uma música (Uma surubinha de leve - título da música), se podemos chamar de música, uma verdadeira apologia ao estupro e a violência contra a mulher.


Para compor uma letra chamada, "Taca bebida, depois taca a pica e abandona na rua", o compositor talvez não valorize a própria mãe, e também não deve pensar em sua irmã (se tiver).


Na verdade, o propósito desse tipo de arte é chocar, e ganhar dinheiro as custas da exaltação da promiscuidade e da cultura de outros vícios.


Minhas palavras não nascem de um sentimento puritanista, pois não sou puritano, elas surgem em minha mente num misto de revolta e tristeza.


É esse tipo de sociedade que está sendo construída pela ausência de um projeto educativo sério, que contemple primeiramente a valorização da criatura humana no âmbito ético moral e também intelectual.


Todos os dias temos notícias de mulheres que são assassinadas pela cultura machista, quase tribal, de grande parte dos homens brasileiros.


Eu gostaria muito de saber a opinião da mãe do compositor dessa "música", que certamente irá vitimar muitas jovens pelo país afora.


Caso ela se orgulhe da produção musical do seu filho, a questão é ainda mais grave.


Não podemos assistir escandalizados, ficar omissos diante dessa agressão que as mulheres sofrem rotineiramente, não podemos aceitar a banalização do mal.


Muitos vão me criticar, porque virão com o discurso de que tudo isso faz parte de um planeta de provas e expiações e blá blá blá...

Essas alegações em minha opinião, resvalam na omissão.

Faço parte dessa sociedade, estou vivendo esses dias e tenho obrigação, como alguém que escreve para adultos, jovens e crianças de me solidarizar com todas as mulheres que são assediadas, violentadas e mortas em nosso país.
Sugiro ao "compositor" dessa perola da cultura nacional que ele componha uma música com o título:


"TACA EDUCAÇÃO, DEPOIS TACA LIVROS E RETIRA DAS RUAS"


Minha solidariedade a estudante paraibana Yasmin Formiga.
Adeilson Salles (autor e palestrante)


Estudante Yasmin Formiga faz protesto contra funk de 

Mc Diguinho. 
(Foto: Yasmin Formiga/Arquivo Pessoal)

Sua música ajuda para que as raízes da cultura do estupro se estendam”. Foi assim que a paraibana Yasmin Formiga começou uma manifestação nas redes sociais contra o funk “Só surubinha de leve”, de Mc Diguinho. Segundo a estudante de Artes Visuais, de 20 anos, a música faz apologia ao estupro.  Por Dani Fechine, G1 PB