Barra de vídeo

Loading...

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Divaldo Franco - Colônia / Alemanha - 29 de maio


Divaldo Franco - Colônia/Alemanha - 29 de maio
Roteiro de palestras Europa 2014 



Na quinta-feira, 29 de maio de 2014, Divaldo Pereira Franco retornou à Bonn, na Alemanha, onde desembarcou de um voo procedente de Milão/Itália, para a realização de um seminário no final de semana. De imediato dirigiu-se para a cidade de Colônia onde, ao convite dos amigos do Grupo Espírita Cantinho do Chico, proferiu belíssima conferência em Português com o tema Em Busca da Saúde e da Paz.


Homenageando o Apóstolo de Pedro Leopoldo, Francisco Cândido Xavier, a maior antena psíquica do século XX, Divaldo enalteceu o seu profícuo trabalho e exemplo de caridade. Referindo-se ao poder do amor, citou Mahatma Gandhi, cujo amor libertou oitocentos milhões de indianos e paquistaneses do tacão do poder britânico. 


Destacando a caridade como força geradora de saúde e paz, o Arauto do Evangelho narrou à bela e comovente história da jovem Ananda, da Índia, que depois de sofrer inenarráveis sofrimentos, humilhações e mutilações variadas pelo crime de ter contraído a lepra, tomou contato com Madre Teresa. Ananda, apesar da doença, dedicou-se a amar e servir ao próximo incondicionalmente. Divaldo detalhou, como exemplo de dedicação, o grandioso trabalho de abnegação total, e de amor irrestrito ao próximo e à Jesus de que se fez portadora a pequena gigante de Calcutá, demonstrando que o amor promove a saúde e a paz.

Adoecemos, esclareceu Divaldo, por que perdemos a ética, o sentido existencial, entregando-nos à depressão e abrindo campo às doenças. O paciente que não acredita em si, obtém muito menos êxito na terapêutica. De um lado, o ser humano possui muitos sofrimentos, e de outro, muitas soluções. Porém a infantilidade no comportamento faz com que o indivíduo deseje que os outros o cure, quando a cura, a saúde, está dentro de si mesmo. A criatura humana gosta muito de enganar-se, muitos pensam que ao retornarem à espiritualidade, tornar-se-ão santos, como que por encanto, apesar de uma existência muitas vezes voltada ao gozo e ao prazer. A morte não nos torna melhores, ela é um veículo que nos leva de volta à imortalidade.


A religião é um fator preponderante para a busca da saúde. Aqueles que adoecem e creem em Deus curam-se em maior número, e mais rapidamente do que os que Nele não creem. Aqueles que perdoam, que não carregam mágoas, adoecem menos. Asseverou o Semeador de Estrelas que cada um busque a paz como recurso para a saúde através da oração. Assim obterá os recursos necessários para manter-se em paz, mesmo quando visitado pelas enfermidades. Finalizando, afiançou que vale a pena amar. Quem ama está rico de luz e espalha paz. Que a presença de Jesus seja uma constante na vida de cada um, conclamando ao amor.

O amplo salão ficou mergulhado em uma atmosfera de paz. A plateia visivelmente emocionada olhava aquele homem que, à medida que falava, parecia agigantar-se, dispensando mesmo o microfone. Sua voz ecoava por todos os cantos do salão e especialmente na acústica das almas dos presentes, sedentas de paz, de ternura, de amor. Divaldo ali esteve renovando o canto daquele que ouvimos uma vez e não nos esquecemos nunca mais... Jesus.

Fotos e texto: Ênio Medeiros

Nenhum comentário:

Postar um comentário