Barra de vídeo

Loading...

domingo, 11 de maio de 2014

Divaldo Franco - Londres/Inglaterra - 11 de maio 2014


A tarde de domingo, 11 de maio de 2014, era nublada e fria. O Arauto do Evangelho, Divaldo Pereira Franco apresentou à acolhedora plateia presente no Perrin Lecture Theatre Queen Mary University Of London Campus o tema The Psychology Of Forgiveness – A Psicologia do Perdão. A tradutora ao Idioma Inglês foi a exímia Anne Sinclair. O momento artístico, levado a efeito antes da conferência, foi protagonizado por Mara Lobo ao violoncelo e pelo barítono Maurício Virgens, compondo um belo e excelente par harmonioso.


Homenageando a amizade, o carinho, a fraternidade e o amor exemplificado por Nilson de Souza Pereira – carinhosamente chamado de Tio Nilson -, silencioso trabalhador de Jesus, desencarnado no final de 2013, foi enaltecido em um vídeo elaborado e apresentado pela B.U.S.S - British Union Of Spiritist Societies. A apresentação sensibilizou profundamente, criando uma atmosfera de carinho e gratidão.


Com sua verve habitual, Divaldo referiu-se ao momento atual, destacando que o ser humano tem obtido conquistas tecnológicas dantes nunca imaginadas, resolvendo os enigmas das galáxias, sem conseguir, ainda, decifrar seus próprios enigmas. Asseverou que vivemos armados uns contra os outros, quando poderíamos viver amados uns pelos outros, aplicando os ensinamentos de Jesus. Procurando preencher essa lacuna – o de não conhecer-se – o homem cerca-se de bens materiais além do que necessita, sofrendo pela falta do supérfluo, a falta do que não lhe faz falta.

Somente o amor une e resolve os problemas do homem. Portanto, o grande sentido da vida é amar. Jesus, o Incomparável Mestre, propôs que os indivíduos amassem até mesmo os inimigos. Na psicologia do perdão, destacou o incansável orador, perdoar é não se vincular ao mal sofrido. Esquecer, disse, é uma questão de memória. Não devolver o mal, não aceitar o mal é uma atitude do ser humano maduro psicologicamente. O perdão ê uma necessidade psicológica, sendo bom para quem o exerce.

Divaldo apresentou, como uma espécie de receita, as atitudes que devem ser exercidas por todos os que desejam viver uma vida plena e feliz. Ou seja: 1 – Amar; 2 - Não ser inimigo de ninguém; e 3 - Não aceitar o mal de quem não gosta de ti. Encerrou sua brilhante conferência afirmando que vale a pena amar, vale a pena perdoar, e sempre que um pensamento mau surgir à mente, substitui-lo por um bom pensamento.

Ao encerrar o evento Divaldo recebeu um DVD exclusivo, o que foi apresentado no início da atividade, em homenagem ao Tio Nilson.

Fotos e texto: Ênio Medeiros




Nenhum comentário:

Postar um comentário